Área em construção





01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/01/2012 a 31/01/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/11/2011 a 30/11/2011
01/10/2011 a 31/10/2011
01/06/2011 a 30/06/2011
01/05/2011 a 31/05/2011
01/04/2011 a 30/04/2011
01/02/2011 a 28/02/2011
01/01/2011 a 31/01/2011
01/12/2010 a 31/12/2010
01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/06/2010 a 30/06/2010
01/05/2010 a 31/05/2010
01/04/2010 a 30/04/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/02/2010 a 28/02/2010
01/01/2010 a 31/01/2010
01/12/2009 a 31/12/2009
01/11/2009 a 30/11/2009
01/10/2009 a 31/10/2009
01/09/2009 a 30/09/2009
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/06/2009 a 30/06/2009
01/05/2009 a 31/05/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/03/2009 a 31/03/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007






Dê uma nota para ThiagoPereiraFan.zip.net






x A definir














▪ Minas Tênis Clube
▪ Swim It Up!
▪ Best Swimming
▪ Uol Esportes
▪ CBDA
▪ Fc do Cielo
▪ Terra Esportes
▪ Corinthians








▪ E-mail



Thiago fica em quarto nos 200m medley

Depois de ganhar uma medalha de prata nos Jogos de Londres, o nadador Thiago Pereira não conseguiu subir novamente ao pódio hoje. Ele chegou na quarta posição nos 200 m medley, com o tempo de 1min56s74.

A medalha de ouro foi conquistada pelo americano Michael Phelps, que cravou 1min54s27 e faturou a sua 20ª medalha, aumentando o recorde como o maior medalhista olímpico da história. A prata foi para Ryan Lochte, também dos EUA, com 1min54s90. O bronze ficou com o húngaro Laszlo Cseh com 1min5622.

Thiago virou os primeiros 50m (costas) em sexto, mas no borboleta e peito terminou em segundo. No final, porém, acabou na quarta colocação. Phelps virou todas as vezes em primeiro lugar.

O nadador brasileiro havia se classificado para a final com a quarta melhor marca (1m57s45), atrás de Ryan Lochte (1m56s13), Laszlo Cseh (1m56s74) e Michael Phelps (1m57s11). 

Fonte: Diário do Vale



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 20h32
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago Pereira e Henrique Rodrigues avançam às semifinais dos 200 m medley

O Brasil estará bem representado nas semifinais dos 200 m medley, na tarde desta quarta-feira (1º). Os nadadores Thiago Pereira e Henrique Rodrigues não tiveram dificuldade para se classificar para as semifinais da prova.

Thiago Pereira nadou tranquilo e ficou com a quinta posição no geral, com o tempo de 1min58s31. Henrique Rodrigues, que competiu na mesma série, forçou a passagem dos 100 m e segurou o ritmo nos últimos 100 m, fechando com 1min59s37, na décima posição.

Para se classificarem à final, eles terão que ficar entre os oito melhores nesta tarde. Em teoria, Thiago não deve ter dificuldade para avançar, enquanto Henrique terá que nadar seu melhor para ficar entre os oito.

O melhor tempo das semifinais foi do húngaro Laszlo Cseh, que tenta se redimir depois de ficar de fora das finais dos 400 m. Ele marcou 1min57s20. O segundo melhor foi o norte-americano Ryan Lochte, com 1min58s03. Michael Phelps foi o quarto, com 1min58s24.

Após a inesperada medalha de prata nos 400 m medley, Thiago entra como um dos favoritos na prova dos 200 m, a sua predileta. Seus principais rivais devem ser mesmo Cseh, Lochte e Phelps.

Assim, a tarde desta quarta-feira estará recheada de brasileiros. Além de Thiago e Henrique, Léo de Deus nadará a semifinal dos 200 m costas, e Cesar Cielo tenta medalha na final dos 100 m livre.

Em outra prova eliminatória, a norte-americana Rebecca Soni ficou com o melhor tempo dos 200 m peito, com 2min21s40.


Fonte: R7 / RedeRecord

 



 



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 12h58
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago é prata nos 400m medley; Lochte vence, e Phelps é quarto

 

 

Ryan Lochte não tomou conhecimento. Não precisou nem olhar para o lado para ver se Michael Phelps estava por perto. Lá no cantinho, na raia 8, o campeão olímpico de Pequim-2008 parecia inofensivo enquanto seu rival disparava no centro da piscina. Nem mesmo Thiago Pereira se assustou com o então bicho-papão das provas de medley. Saiu do quinto lugar na parcial do peito, assumiu o segundo e não deixou que ninguém roubasse a sua medalha de prata. Com o tempo de 4m08s86, o brasileiro chegou atrás apenas de Lochte (4m05s18), deixando o bronze para o japonês Kosuke Hagino (4m08s94).

Phelps? Parecia não acreditar no que via no placar. Aquele número 4 ao lado do nome, marcando 4m09s28 e cinco segundos acima de seu recorde mundial, não estava nos planos. Ainda mais para quem costuma dizer que os 400m medley funcionam como um termômetro. Se tudo sai bem nesta primeira prova, a competição costuma fluir. O sinal não foi bom. Desde Atenas-2004, ele não saía de uma disputa de mãos vazias, sem ouro. A última vez que havia perdido uma final olímpica foi nos Jogos gregos, quando terminou em terceiro nos 200m livre, sendo superado por Ian Thorpe e Pieter van den Hoogenband. Em Londres, o americano também busca um recorde. Será o maior medalhista da história dos Jogos se subir três vezes ao pódio, superando a ex-ginasta Larissa Latynina. Ele tem 16 na coleção, ela ganhou 18.  

Da estreia amarga neste sábado, Phelps levará uma imagem. Lembra direitinho quando viu Thiago Pereira crescer no retrovisor.

- Eu me senti estranho nos primeiros 200m e vi Thiago crescendo. Ele estava mais bem preparado e, quando me dei conta, percebi que estava na minha frente e que não daria mais para mim - admitiu.

Preparado e confiante. Nas duas outras participações olímpicas, havia batido na trave. Em Atenas-2004, então com 18 anos, ficou em quinto exatamente nos 400m medley. Quatro anos mais tarde, em Pequim, foi o quarto nos 200m medley. Não queria mais o quase. Foi treinar nos Estados Unidos, voltou e se juntou a Cesar Cielo no projeto PRO 16. Queria a medalha de qualquer jeito e fez o que esteve ao alcance das mãos em sua preparação para não dar margem ao "e se...". Trabalhou visando à prova dos 200m, mas não desperdiçou a chance na distância que sempre o faz sair da água exausto. Nesta final não foi diferente. Chegou para falar com os repórteres só pensando em um lugar para poder se sentar. Estava exausto, ainda atônito com o que tinha acabado de acontecer. Não conseguia andar direito.

- Esta medalha é mais que um sonho. Foram muitas tentativas e muito sacrifício até chegar aqui, mas valeu a pena. Muita coisa mudou nesses quatro anos no treinamento. Na parte fora d’água, comecei a ter nutricionista, tudo o que precisava em termos de estrutura. Comecei a ter acompanhamento de mais profissionais. Esta era uma prova que já tinha posto na cabeça que não iria mais disputar, e é o que vou fazer a partir de agora. Foi muito bom ganhar essa prata, mas é uma prova muito exaustiva. Quem viu, viu. Eu me surpreendi com o tempo Estou tão cansado que não consigo nem raciocinar direito - disse Thiago.

 

Sereno, pisou forte no segundo degrau do pódio sem derrubar uma lágrima. Preferia distribuir sorrisos, receber o cumprimento do bicampeão mundial Ryan Lochte e dar uma mordinha na medalha que foi cobiçada por tanto tempo.

 

Fonte: GloboEsporte.com

Fotos por Sátiro Sodré

 

 

 



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 00h06
[ ] [ envie esta mensagem ]





iFeliz cumples!

É com imenso prazer que o blog ThiagoPereiraFan.zip.net comemora mais um ano de aniversário do nosso ilustre nadador Thiago Pereira.

Sei que pode parecer clichê, mas realmente desejamos tudo o que há de melhor no mundo para esta pessoa que conquistou a confiança do povo brasileiro. 

Thiago, que 2012 seja repleto de realizações na tua vida. Muita paz, saúde, $$, sucesso, conquistas, natação...

E levando em conta a passagem pelo México, fica o nosso iFeliz Cumpleaños! para ti neste dia 26.

 



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 13h39
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago Pereira e César Cielo curtindo a noite carioca

Foto por: Ari Kaye



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h29
[ ] [ envie esta mensagem ]





Open de Natação: Thiago Pereira nada última prova neste sábado

Thiago Pereira cai nas piscinas na manhã deste sábado, 17, para nadar a última prova do Brasileiro SeniorOpen de Natação. O atleta disputa pelo Corinthians o revezamento 4x50m no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro. 

Thiago nadou a classificatória dos 400m medley na tarde da sexta-feira, 16, e bateu o recorde de campeonato: 4m18s10. A antiga marca também dele era de 4m27s05. Segundo a assessoria, ele não vai nadar a final por ter sentido dores musculares durante a prova. O médico preferiu poupá-lo. 
Pela manhã, o nadador conquistou o bronze nos 100m borboleta na competição. Com a vitória de hoje, Thiago conquistou a segunda medalha na competição. 

Na quinta-feira (15), ele levou a prata nos 200m medley, com o tempo de 2m00s19. O atleta liderou a prova por boa parte do tempo, mas perdeu a primeira colocação nos últimos metros. 

O Brasileiro Senior e Open de Natação é o último torneio do nadador na temporada 2011. Ele vai competir também pelos 400m medley e 100m costas. O atleta também estava escalado para competir nos 100m livre e nos200 m livre, mas um problema de índice impossibilitou a participação dele.

Fonte: Rio Sul Net



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h24
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago Pereira quebra recorde dos 400m medley do Brasileiro Sênior

Thiago Pereira e o técnico Alberto Silva adotaram uma nova estratégia para as provas de medley e os primeiros resultados foram positivos. Nesta sexta-feira, o nadador do Corinthians levou o ouro do Brasileiro Sênior (Troféu Daltely Guimarães) na prova dos 400m medley. A marca de 4min18s10 é o novo recorde do campeonato. O resultado anterior também era dele (4min27s05, em 2008).

Na manhã deste sábado, o atleta de Volta Redonda tentará mais uma vez baixar o tempo no Open de Natação. A intenção do treinador de Thiago Pereira é fazer com que o nadador passe mais fraco os primeiros 100 metros do nado borboleta para fechar a última piscina, com o crawl, com mais tranquilidade.

“É um novo conceito que estamos adotando. Meu início de prova sempre foi muito forte e o final mais desgastante. A ideia é balancear e, para isso, preciso passar mais lento o borboleta, que abre o medley”, adianta Thiago Pereira.

Bastante cansado com a rotina de treinos que priorizam a musculação, o atleta do Corinthians quer fazer mais testes no último evento do ano. A competição é disputada no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

“Queria ficar abaixo dos 4min20s e deu certo. Como o evento é dois em um, eu preciso guardar forças para o dia seguinte”, recorda o atleta patrocinado pela Arena e pelos Correios. O pódio teve ainda Thiago Simon (4min24s89) e Diogo Yabe (4min25s35).

Na manhã desta sexta, Thiago Pereira já havia faturado o bronze dos 100 m borboleta no Open de Natação 2011 com a marca de 53s28. Já a disputa pelo ouro nos 400 m medley será neste sábado, a partir de 10h30. O corinthiano também nadará os 100 m costas.

Thiago Pereira já está garantido em Londres nos 200 m medley (1min57s35), 400 m medley (4min12s52), 200 m peito (2min10s79) e 200 m costas (1min58s07), sendo que todos os índices foram obtidos no troféu Maria Lenk, realizado em maio de 2011.

Fonte: Gazeta Press


- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h22
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago Pereira leva o bronze na prova dos 100m borboleta

 

Thiago Pereira saiu satisfeito da piscina do Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, onde disputou na manhã desta sexta-feira os 100 m borboleta no Open de Natação 2011. O nadador do Corinthians cravou 53s28 e terminou com a medalha de bronze em uma prova que não é sua especialidade. 

"Estou feliz. Esta marca (53s28) deve ser um dos melhores tempos da minha vida nesta prova. Fiz bem os fundamentos e fui bem no final da prova", comentou o atleta.

Thiago se classificou com o sexto melhor tempo para a final (53s95). O nadador foi lento no primeiro trecho, mas nos metros finais disparou e bateu na terceira posição, atrás de Henrique Martins (Pinheiros), primeiro colocado, e Glauber Silva (Minas Tênis Clube), segundo. 

Thiago Pereira ainda disputa duas provas no torneio do Rio de Janeiro: os 400m medley, na sexta-feira à noite, e os 100m costas, no sábado. O nadador ressalta que não está em busca de recordes, mas sim ajudar o Corinthians, que está em quarto lugar na competição. "Meu objetivo é representar bem o clube e encerrar o ano tranquilo", afirma o atleta de Volta Redonda.

Thiago Pereira já está garantido em Londres nos 200m medley (1min57s35), 400m medley (4min12s52), 200m peito (2min10s79) e 200m costas (1min58s07), sendo que todos os índices foram obtidos no troféu Maria Lenk, realizado em maio de 2011. 

Fonte: ESPN

 



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h21
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago Pereira volta a treinar no Brasil, agora com Cielo

A aproximação, que já ficou clara durante os Jogos Pan-Americanos, agora se transformou em parceria. Depois de passar os últimos dois anos em Los Angeles, Thiago Pereira decidiu voltar a fazer sua preparação no Brasil, desta vez ao lado de Cesar Cielo.

A partir de agora o recordista de medalhas continentais irá treinar junto com Cesar Cielo em São Paulo, integrando o PRO 2016 (Projeto Rumo ao Ouro 2016), que também conta com Nicholas Santos e Leonardo de Deus e Henrique Barbosa. O técnico de ambos será Albertinho Silva, um dos principais do país na atualidade.

A mudança de Thiago está sendo feita aos poucos, com a ajuda da mãe, Rose. O nadador, inclusive, já vendeu o Porsche que possuía a um antigo companheiro de treino com o técnico Davi Salo, o tunisiano Oussama Mellouli, atual campeão olímpico dos 1500 m livre.

A ideia de Pereira ao se mudar para os Estados Unidos era entrar de vez na briga por medalhas nos torneios mais importantes do mundo nas provas medley, dominadas pelo fortíssimo trio formado pelos americanos Michael Phelps e Ryan Lochte, além do húngaro Laszlo Cseh). A meta, porém, não foi alcançada e o brasileiro não subiu ao pódio no Mundial de Xangai, realizado em julho.

Fonte: R7



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h12
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago Pereira fala do sonho de conquistar uma medalha na Olimpíada de Londres

Para visualizar o vídeo, clique AQUI



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h10
[ ] [ envie esta mensagem ]





Uma entrevista exclusiva com Thiago Pereira - Todateen

 

tt: Você acabou de voltar do Pan com 12 medalhas de ouro e tornou-se o brasileiro com maior número de medalhas de ouro em toda a história dos Jogos Pan-americanos. Primeiramente, parabéns. Conte pra gente qual a sensação de ser recordista nesse campeonato que é superimportante.

Thiago: Estou superfeliz, foram anos e anos pra ter conquistado um resultado expressivo como esse. Ter conquistado a marca é incrível e espero que no próximo Pan eu consiga superar a marca do Gustavo Borges, que tem 19 medalhas na competição. 


tt:  A que você atribui essas conquistas?

Thiago: Estava me preparando para o Pan desde o final Mundial de Shangai. Acredito que o resultado positivo foi fruto de um trabalho intenso, muito suor e dedicação. 


tt:  Algum dia você pensou que faria tanto sucesso assim?

Thiago: O sucesso é consequência de todo um trabalho e dedicação. Sempre me cobrei muito, assim procuro melhorar diariamente e isso me motiva a bater meta atrás de meta. 


tt: Como é o clima entre a equipe da natação? Você se dá bem com o Cielo? 

Thiago: É um clima bacana, todos estão bem à vontade e respeitam muito o trabalho do Albertinho (Alberto Silva, técnico da equipe). Gosto muito do Cielo, já representamos o Brasil várias vezes e ele sempre faz coisas boas para o País. 


tt: Vocês têm tempo livre pra conhecer a cidade?

Thiago: Muito pouco, eu pelo menos procuro me manter concentrado ao máximo. 


tt: O que mais você gosta de fazer além de nadar?

Thiago: Ficar com a família e a namorada. Também sou vidrado em jogos.


tt: Se não fosse nadador o que seria?

Thiago: Sinceramente, não sei, pois não consigo me ver longe da piscina.


tt: Tem algum ídolo?

Thiago: Rogério Romero e Gustavo Borges.


tt: Como está o assédio nas ruas?

Thiago: É um pouco grande, natural depois de uma competição como o Pan, mas agradeço a todos pelo carinho.


tt: Quais são as próximas metas depois do Pan?

Thiago: Pretendo manter o foco para que no ano que vem traga uma medalha olímpica para o Brasil nos 200 m ou 400 m Medley.


tt: Deixe um recadinho para as meninas do fã clube, foram elas que pediram muito uma entrevista com você!

Thiago: Quero agradecer a todos que me apoiaram neste ano e sempre. Espero que continuem torcendo e vibrando, pois vou procurar fazer o meu melhor para continuar representando bem o Brasil. Desejo a todos um feliz 2012, muita saúde e paz. Grande Beijo.


Fonte: Todateen

 



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h07
[ ] [ envie esta mensagem ]





Estrelas da natação prestigiam final do campeonato dos Correios

> Notícia: 25/11

 

Os principais nadadores brasileiros da atualidade, Cesar Cielo, Thiago Pereira, Poliana Okimoto, César Castro e Lara Teixeira, os medalhistas olímpicos Gustavo Borges e Fernando Scherer e as seleções brasileiras de esportes aquáticos vão prestigiar, neste sábado (26), em Brasília, a fase final do 20º Campeonato Nacional de Natação dos Correios. Os multicampeões disputarão, inclusive, uma prova de revezamento com os atletas dos Correios.

Os Correios são patrocinadores oficiais da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) desde 1990. Também patrocinam a Confederação Brasileira de Tênis (CBT) e a Confederação Brasileira de Futsal (CBFS). Os patrocínios são direcionados a treinamentos, participação dos atletas brasileiros em competições nacionais e internacionais e também à manutenção de projetos sociais e escolas que fomentam o desenvolvimento das modalidades, beneficiando 10 mil crianças e adolescentes em todo o Brasil.

Fonte: O Nortão

 

 



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 16h05
[ ] [ envie esta mensagem ]





Thiago Pereira concorre a prêmio de “atleta do ano”

O atleta de Volta Redonda Thiago Pereira disputa o Prêmio SportLife de “atleta do ano” junto com outros atletas brasileiros de grande prestígio, como a saltadora Maurren Maggi e Fabiana Murer, e o nadador Cesar Cielo.

Marilson Gomes dos Santos e Fabiana Murer confirmaram presença na premiação que acontecerá no Museu de Arte Moderna (MAM), no dia 8 de novembro na terça-feira, a partir das 20h00.

Os esportista que se destacaram no Pan 2011 serão homenageados. Entre eles estão Reinaldo Colucci, do triatlo; Felipe França, da natação; Leandro Guilheiro, do judô; e Moniki Carla, da seleção feminina de handebol, já classificada para a Olimpíada 2012.

Haverá na cerimônia uma homenagem especial para ex-atletas que marcaram o esporte brasileiro, entre eles Maurício Lima e Marcelo Negrão, ex-jogadores da Seleção Brasileira de Vôlei.

Maior vencedor de ouros no Pan-Americano

O nadador de Volta Redonda Thiago Pereira é o novo recordista brasileiro em medalhas de ouro no Pan-Americano. O atleta encerrou sua participação em Guadalajara conquistando mais duas medalhas de ouro, Thiago conquistou seis medalhadas de ouro só em Guadalajara.

O atleta do Corinthians já havia conquistado outras seis medalhas de ouro no Pan-Americano do Rio em 2007, chegando a 12 medalhas, o esportista bateu o recorde Pan-Americano nos 200 metros costas com o tempo de 1min57s12.

Fonte: Jornal Folha do Interior

 


 
 



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 11h06
[ ] [ envie esta mensagem ]





'Trocaria minha 18 medalhas de Pan por um ouro olímpico'

(continuação)

 

.L!NET: Sua especialidade sempre foi o medley. Mas em Guadalajara você obteve bons tempos, a nível mundial, nos 200m peito e nos 200m costas. Arriscaria uma mudança?

TP: Não sei, viu. De qualquer maneira, tenho de treinar os quatro estilos para o medley. Mas eu devo fazer um programa para maio, no Troféu Maria Lenk, e ali vai dar para decidir algumas coisas, a partir dos resultados. Mas, por enquanto, tenho como foco os 200m medley e os 400m medley.

L!NET: Você já foi campeão mundial em piscina curta, recordista mundial, quarto colocado em Olimpíada, rei da Copa do Mundo. Tem quase tudo na carreira menos uma medalha olímpica. Isso pressiona?

TP: Acho que é um sonho, e a pressão sempre existe. Estou há anos e anos, desde 2004, brigando entre os cinco melhores do mundo. Todos querem um lugar entre os três primeiros. Vou lutar, porque uma hora vou conseguir. Não possível (risos). Muita gente me pergunta se dei azar de nadar na mesma geração de três grandes nadadores (Lochte, Cseh e Phelps), mas não. Eu gosto dessa evolução no medley. Ajudei muito a virar uma prova mais nobre. Hoje em dia, a prova dos 200m medley é assistida no mundo inteiro.

L!NET: Você tem 18 medalhas em Pan. Você trocaria todas essas por uma medalha olímpica?

TP: Nossa, essa é difícil. Por uma medalha de ouro olímpico? Aí eu trocaria, fácil. Pode ficar com as 18 do Pan (risos). Mas é difícil falar, é mais fácil da boca para fora, porque tive momentos especiais no Pan. Em Santo Domingo-2003 ganhei duas medalhas, no Rio-2007 tinha aquela torcida maravilhosa. O Pan me reservou momentos especiais.

L!NET: Qual foi o momento mais especial em Pan?

TP: Não teve um. Cada prova, cada momento. Foram tantos bons momentos que eu prefiro guardar todos.

L!NET: Você ganhou US$ 100 mil em prêmio por ter sido o rei da Copa do Mundo-2010. O que fez?

TP: Ainda está guardado. Procuro agora um apartamento em São Paulo, mas o dinheiro está lá guardado.

L!NET: Onde você guarda suas 18 medalhas do Pan?

TP: Elas ficam em Volta Redonda, na casa da minha mãe. Ela guarda tudo lá.

L!NET: Quem é melhor? Ou então quem será o grande nome da Olimpíada de Londres: Michael Phelps ou Ryan Lochte?

TP: Ryan. O Phelps não está mais no topo. Acho que para tudo tem um limite. Ele já fez tudo o que tinha de fazer. Muitos o crucificam, mas ele tem 14 medalhas olímpicas. Ele não deve nem ter mais saco para treinar. Depois de oito medalhas de ouro de uma vez só? Nem eu teria. Phelps ainda tem alguns objetivos, como ser tricampeão olímpico, mas depois deve ser aposentar.

Fonte: Lancenet!



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 12h56
[ ] [ envie esta mensagem ]





'Trocaria minha 18 medalhas de Pan por um ouro olímpico'

A história novamente se repetiu. Assim como no Rio de Janeiro, em 2007, Thiago Pereira deixou uma edição dos Jogos Pan-Americanos com a mala repleta de medalhas (em ambos os casos, foram oito pódios). Mas, pelo menos aparentemente, sem a sensação de satisfação plena.A preocupação se baseia exatamente no que ocorreu após o Pan de quatro atrás. Um ano depois, Thiago foi à China para os Jogos de Pequim com status de provável medalhista. E retornou de mãos abanando. É essa repetição que o fluminense pretende evitar.Para isso, apesar do sucesso alcançado no Pan, Thiago focou sua preparação do ano no Mundial de Natação em Xangai (CHN), no qual novamente não foi ao pódio. A decepção levou-o a entrar para o grupo de elite formado por Cesar Cielo e o técnico dele, Alberto Silva. Nesta entrevista exclusiva concedida ao Lancenet!, o brasileiro revela a ligação que o fracasso em Xangai teve com o acerto, e o que ele projeta para seu objetivo principal: os Jogos de Londres.

Confira os melhores trechos:

LANCENET!:  Apesar da proximidade com o fim do Pan, o pensamento de todos é a Olimpíada de Londres. Quais são suas projeções?

Quando você nada uma prova tão bem quanto os 200m costas, chega a cogitar em incluí-la no programa dos Jogos?

Thiago Pereira: Foi difícil nadar o Pan dois meses depois do Mundial (de Xangai, em julho). Tivemos de esticar a preparação, equilibrar o treinamento. Acabou que deu tudo certo. Estava com um pouco de medo antes do Pan, e até brinquei com meu técnico, o Albertinho (Alberto Silva Pinto, que lidera o grupo PRO 16). Como seria fazer oito provas na altitude (em Guadalajara, é de 1.500m acima do nível do mar). Eu ainda tinha aquela visão do Pan do Rio, que foi uma maratona, com semifinal e final. Felizmente, no México não teve semifinal nas provas, mas teve a altitude. Fiquei surpreso com alguns resultados. A prova dos 200m costas, por ter sido o último dia de competição, depois de ter nadado a semana inteira, e venci com um bom tempo. Fazia quatro anos que não baixava da casa de 1m58 (Pereira fez 1m57s19 no México), e ter quase feito abaixo de 1m57 foi bom. Nas provas de medley eu tentei dosar ao máximo. Forcei e segurei quando precisei. Ali, a meta era conquistar o máximo de medalhas possível para o Brasil. O meu plano não era tempo, e sim as medalhas. Fiz uma competição bem inteligente, e agora o foco é Londres. É muito mais díficil do que foi no Pan, até porque tenho dois dos maiores nadadores do mundo em minha prova principal (os 200m medley): Ryan Lochte e Michael Phelps. Tenho corrido atrás de coisas que deixava de lado, como parte física e nutricional. Eu sempre dei mais valor à piscina, rodagem, treino, volume dentro da água. Agora, estou vendo mais o lado de fora.

L!NET: Em 2007 você teve um desempenho semelhante ao de Guadalajara. Mas, na Olimpíada de Pequim, a medalha não veio. Para isso não se repetir, o que você fará de diferente?

TP: Não tem muito o que mudar. De 2007 para 2008, foi muito diferente. Aquele Pan-Americano mudou minha vida inteira. Apesar de não ter medalhado em Pequim, os três que ficaram na minha frente (nos 200m medley: Michael Phelps, Lazslo Cseh e Ryan Lochte) eram os melhores da época. Se o Phelps não existisse, o Lazslo seria o grande nome daquela Olimpíada. Assim como o Ryan, que venceu o Aaron Peirsol nos 200m costas. Eu treino, batalho, mas também nado contra três nomes que estão na natação em alto nível há bastante tempo. Foi uma geração bem complicada no nado medley, basta ver o quanto os recordes das provas deste estilo caíram nos últimos anos. Antes de o Phelps estourar, o recorde mundial dos 200m medley era 1m58, e hoje está na casa de 1m54. Eu sei das minhas dificuldades, sei a melhor maneira de me preparar para o ano que vem, mas também sei que não vai ser fácil. Mas, como nada vem fácil, eu tento me desafiar ao máximo. Quero estar no pódio nadando contra eles. Se um não estiver presente na prova também não é o que quero.

L!NET: Se compararmos o Thiago que saiu do Pan-2007 para o Thiago que saiu do Pan-2011, qual é a diferença?

TP: O Pan do Rio foi uma grande mudança, por ser no Brasil. A mídia inteira estava presente, e eu não tinha noção da grandeza daquilo ali. Durante a competição, nós só ficávamos no trajeto vila-piscina, vila-piscina. Aí, depois que acabou, foi aquela surpresa, aquele baque. Eu era bem mais novo, tinha 21 anos. Deu uma assustadinha de leve. Ficava todo mundo atrás de mim para entrevistas e eventos, e isso acabou por tirar de mim tempo de treinar. Como eu viajava muito, sempre perdia treinos e não descansava direito. Era compromisso com patrocinador, gravação de vídeo, gravação disso, gravação daquilo. E realmente complicou um pouquinho, porque era ano olímpico. Mas acho que faz parte, um dia eu teria de passar por aquilo para aprender. Hoje, depois de Guadalajara, já está sendo mais fácil de lidar com a situação. Nem se compara como saí daquele Pan de como saí desse.

L!NET: Este momento pós-Pan está mais tranquilo do que 2007, então.

TP: Estou mais velho, né. Eu sei o que posso e o que não posso fazer. Há coisas das quais é preciso abrir mão. Por exemplo, se houver um evento longe, no Sul, não dá mais para agendar. Eu tenho prioridades hoje, que é treinar para a Olimpíada. Se eu fizer escolhas erradas, não vai dar certo, e nesse ponto atualmente sei dosar bem

.L!NET: Depois de Pequim, você saiu frustrado e nisso veio o Cesar Cielo explodiu. Como foi sair da paparicação do Rio-2007 e virar coadjuvante depois?

TP: Não tenho nem o que dizer do Cielo. Foram duas medalhas, e depois daquilo a natação do Brasil só teve ganho. É isso que temos de pensar: não adianta ter apenas um nadador. Quanto mais destaques de ponta nós tivermos, melhor em termos de investimento, estrutura. E hoje a Seleção Brasileira de natação é muito forte. Há uma nova geração a caminho. Eu e o Cielo estamos com uma idade jovem ainda, mas já vemos uma safra boa vindo. Nós dois comandamos essa geração, e temos apenas 24 e 25 anos. Esse é o objetivo. Eu entrei na Seleção adulta e peguei o Gustavo (Borges) e o Xuxa (Fernando Scherer) nos últimos dois anos de carreira, e depois eles já pararam. Agora, para a molecada, estar nadando conosco é importante. Na Seleção do Pan tinha gente que eu nem conhecia. Nossa natação só tem a ganhar com isso

.L!NET: Como você havia ido treinar nos Estados Unidos e feito boas competições antes, havia grande expectativa quanto a você para o Mundial de Xangai. Mas você foi apenas o sétimo nos 200m medley. O que deu errado?

TP: É difícil falar o que deu errado. Não sou de culpar treinador. Se não deu certo, o motivo fui eu. As duas últimas semanas de preparação, que eram cruciais, foram bem complicadas. Por exemplo, eu estava na China e meu técnico (nos Estados Unidos, Dave Salo) estava no Japão. Foi complicado. Tive de fazer meu polimento inteiro via e-mail. Não é a mesma coisa. Não ter a presença do técnico na borda da piscina faz falta. Isso atrapalhou um pouco. Mas, em termos gerais, não foi nem tanto isso. Nem todos da minha faculdade nadaram bem. Pode ter havido um erro técnico. O Oussama (Mellouli, campeão olímpico dos 1.500m livre em Pequim) havia sido campeão dos 1.500m em Roma-2009 e desta vez nem se classificou para a final. Isso me deixou até um pouco mais tranquilo, para falar a verdade. Da minha equipe nos Estados Unidos, apenas a Rebecca Soni teve o desempenho esperado.

L!NET: Depois do Mundial você chegou a conversar com o Dave Salo, para entender o que aconteceu. E de alguma forma isso ajudou na sua entrada no PRO 16?

TP: Teve a ver sim. Eu conversei com o Dave, mas durante a competição, e eu estava de cabeça quente. Não conseguimos sentar e conversar. Eu falei para ele que estava com vontade de ficar no Brasil até o Pan, e aí surgiu a oportunidade de treinar com o Cesar (Cielo). O Dave entendeu e me disse para treinar no Brasil, e que depois voltasse para os Estados Unidos. Hoje, fazendo parte do PRO 16 fez as coisas ficarem diferentes. No Pan, havia um grupo inteiro junto, e ajuda muito na competição. A natação é um esporte solitário, no qual é preciso resolver tudo por si, e resolver outras coisas fora da piscina prejudica. Em Guadalajara, o Albertinho resolvia tudo. Entrevistas, tudo, passava por ele e ele dava mastigado para nós. Em Londres deve ocorrer a mesma coisa: eu vou para o treinamento apenas com a equipe do Brasil, e serão duas semanas sem contato com o Dave, então vou manter um trabalho com o Albertinho de perto para lapidar essas duas semanas

.L!NET: Neste pouco tempo no PRO 16, o que você pôde perceber de mudança?

TP: A confiança deles está lá em cima. Achei a ideia super bacana. Posso dizer que, depois dos meses que passei com o PRO 16, que se trata de uma das melhores estruturas de treinamento do mundo. Temos dois técnicos, dois preparadores físicos, um médico, uma nutricionista e um fisioterapeuta para um grupo de seis atletas. Nós brincamos que se trata do único grupo que tem mais profissionais do que atletas. Todo dia tem alguém na borda da piscina me perguntando se está tudo tranquilo. Já fiz bateria de exames de sangue, de esforço, de tudo, para saber como o corpo reage. São esses fatores que fazem a diferença no grupo.

(continua)



- Postado por: equipe ThiagoPereiraFan às 12h55
[ ] [ envie esta mensagem ]